Grupo de Trabalho 4 – Gênero, Sexualidade e Subjetividades

Dia 21 de outubro das 14h às 17h

Sala 11 –  Faculdade de Direito

Monitores: Pedro Junior do Vale e Flaviano Gomes de França

Coordenadora: Iolete Ribeiro – Faculdade de Psicologia UFAM

Debatedores:

Alessandra Pereira– UNINORTE -alessandra_pereira@hotmail.com

Nilton Carlos da Silva Teixeira  – SEDUC – nsilvateixeira@yahoo.com.br

Munique Therense Costa de Morais Pontes – UEA – mtherense@gmail.com

 

1 – SENTIDOS DE RELAÇÕES DE GÊNERO PRODUZIDOS POR ADOLESCENTES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NA PERIFERIA DA CIDADE DE MANAUS

Kelly Pereira Uchôa, Graduanda em Psicologia, kellyp.uchoa@gmail.com, UFAM

Fabiane Aguiar Silva, Mestre em Psicologia, fabianeaguiarpsi@hotmail.com, HUGV

Iolete Ribeiro Silva, Doutora em Psicologia, iolete.silva@gmail.com, UFAM

RESUMO: Compreendendo que a cultura e os sentidos de gênero são construídos socialmente, sendo compartilhados e reproduzidos no espaço escolar pelas relações informais e pedagógicas, o presente projeto de pesquisa propôs-se compreender os sentidos de relações de gênero produzidos por adolescentes de uma escola na periferia da cidade de Manaus/Amazonas. A pesquisa fundamentou-se na abordagem da psicologia sócio-histórica visando contribuir com a discussão de gênero pautada na relação construída socialmente entre as performances de gêneros. Considerando as características e dinâmica destes processos, fez-se relevante pesquisar a produção de sentidos na adolescência, sob a perspectiva da psicologia do desenvolvimento humano. O objetivo geral da pesquisa foi compreender os sentidos de relações de gênero produzidos por adolescentes de uma escola na periferia da cidade de Manaus/Amazonas, já os objetivos específicos foram: 1. Identificar os sentidos das performances de gênero masculinas e femininas produzidos pelos adolescentes e 2. Compreender os sentidos de relações entre as performances de gênero produzidos pelos adolescentes no espaço escolar. A pesquisa adotou uma abordagem qualitativa de caráter exploratório e os instrumentos para a construção de dados foram a observação participante e o grupo focal. Os grupos foram realizados nas dependências da escola e a proposta se tratou da realização de grupos focais nos moldes de encontros com eixos norteadores de discussão. A análise dos dados foi fundamentada na proposta dos núcleos de significação. Como resultados da pesquisa, observou-se que os sentidos de relações de gênero produzidos pelos adolescentes revelaram um processo dialético de significados de performances de gênero pautados em concepções tradicionais, bem como, mais desconstruídas sobre os papeis masculinos e femininos. Ou seja, significados que estruturam concepções mais tradicionais de gênero vêm interagindo com discursos emancipatórios sobre as performances e produzem sentidos estruturados em anseios de relações contemporâneas mais satisfatórias. A discussões sobre relações contribuem com a produção de sentidos de relações mais alternativas, libertárias e criativas a partir da reflexão social, histórica e cultural das performances de gênero.

 

2 – SUJEITOS MASCULINOS EM CONSTRUÇÃO: SENTIDOS DE ÉTICA NAS RELAÇÕES DE GÊNERO DE TRABALHADORES DE UMA OBRA DA CONSTRUÇÃO CIVIL EM MANAUS-AMAZONAS

Fabiane Aguiar Silva, Mestre em Psicologia, fabianeaguiarpsi@hotmail.com, HUGV

RESUMO: O trabalho se trata de uma pesquisa qualitativa sobre os sentidos de ética nas relações de gênero de trabalhadores de uma obra da construção civil em Manaus/Amazonas. O objetivo geral foi compreender os sentidos de ética nas relações de gênero produzidos por trabalhadores de uma obra da construção civil em Manaus. Os objetivos específicos foram: identificar os sentidos de ser ético na relação durante as experiências de relacionamentos de gênero dos trabalhadores da construção civil em Manaus/Amazonas e relacionar os sentidos éticos produzidos pelos trabalhadores à construção de suas masculinidades nas relações de gênero vividas. Referenciou-se na Psicologia sócio-histórica de Vygotsky e rede de significações. A metodologia de pesquisa propôs uma construção de dados através de instrumentos como: relato de história de vida e questionário socioeconômico. Os participantes da pesquisa foram 5 sujeitos masculinos do ramo da construção civil de Manaus. As informações construídas na pesquisa foram analisadas via núcleos de significações. As éticas construídas pelos participantes em suas histórias de vida e relações ressaltaram que as condutas para uma relação satisfatória necessitariam de afeto, igualdade, respeito, franqueza, coerência, cordialidade, acordo intersubjetivo e diálogo. Porém, cada dimensão destas possuiria entrecruzamentos, dinâmicas, sentidos e intensidades distintas e que precisariam ser acordadas com essas conjunturas que também ocorrem no outro, o que revela a complexidade deste processo. Aspectos como abstração, reflexividade, alteridade e assertividade, necessários ao desenvolvimento do diálogo, destacam-se nas dificuldades e nas potencialidades relatadas. A ineficiência ou a potência destes aspectos dificultam ou os ajudam a desenvolver o lidar nas relações. A pesquisa identificou a necessidade dos participantes em relacionar os sentidos que orientam suas vidas às suas atitudes em relação a si e ao outro em uma relação como o cuidado, o afeto e a conveniência. Verificou-se a necessidade de se refletir a construção ética na contemporaneidade, de forma que as políticas públicas considerassem cada vez mais as histórias de vida das pessoas e seus sentidos, de forma a favorecer discussões sobre ”como se conduzir em relação ao outro para uma vivência satisfatória a dois? ”. O trabalho conseguiu contribuir com reflexões sobre possibilidades de ser e se relacionar, evidenciando a reflexão da construção social das identidades de gênero via processos éticos.

 

3 – ASPECTOS PSICOPOLÍTICOS DE MULHERES PROFISSIONAIS DO SEXO NA CIDADE DE MANAUS

Bárbara Míriã Cintra Gomes, Graduanda em Psicologia, b.mcgomes@hotmail.com, UFAM

Iolete Ribeiro Silva, Doutora em Psicologia,iolete.silva@gmail.com, UFAM.

Paulo Victor Telles de Almeida, Mestrando em Psicologia, pv.telles.almeida@gmail.com, UFAM

RESUMO: Este artigo propõe-se a investigar aspectos psicopolíticos de mulheres profissionais do sexo da cidade de Manaus, analisando, em conjunto com as trabalhadoras, os modos de subjetivação e identidade política. Utilizando conceitos da psicologia política, leituras bibliográficas e com a inserção da pesquisadora no contexto das trabalhadoras foi possível compreender as demandas da categoria que tem como pautas principais a prevenção a doenças sexualmente transmissíveis, o combate a violência contra a mulher e a busca por direitos sociais e trabalhistas para as profissionais do sexo. Além disso, pode-se observar discursos de caráter unificador e emancipatório para mulheres, em sua maioria de descendência indígena e/ou negra e baixo poder econômico. Entretanto, a pouca participação das associadas trava avanços, atribuídos a fatores como as questões familiares e violências causadas por preconceito e discriminação.

 

4 – ANÁLISE DAS METODOLOGIAS DE INTERVENÇÃO PSICOSSOCIAL EM GRUPO DE HOMENS AUTORES DE VIOLÊNCIA CONJUGAL

Thiago Silva dos Santos, Mestrando em Psicologia, thiago_silva_90@hotmail.com, UFAM

Iolete Ribeiro Silva, Doutora em Psicologia, iolete.silva@gmail.com, UFAM.

André Luiz Machado das Neves, Doutorando em Saúde Coletiva, andre_machadostm@hotmail.com, UEA

Fabiane Aguiar Silva, Mestre em Psicologia, fabianeaguiarpsi@hotmail.com, HUGV

Fernanda Priscilla Pereira Calegare, Mestre em Psicologia fepripres@hotmail.com, Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas – TJAM

RESUMO: Mediante o fenômeno da violência contra a mulher e as prerrogativas da Lei Maria da Penha (Lei no 11.340), este artigo teve como objetivo analisar os documentos que relatam as metodologias de intervenção social da Psicologia e Serviço Social do Projeto de extensão “Educação e Atenção Psicossocial a Homens Autores de Violência Conjugal” em Manaus, Amazonas. Trata-se de Pesquisa Documental, com enfoque qualitativo. Os resultados apontaram que as metodologias foram consideradas inovadoras na região norte, ao contemplarem as relações socioculturais, utilizarem a linguagem como principal instrumento de dialogicidade e responsabilização, potencializarem o cuidado de si e do outro na conjugalidade e apresentarem uma alternativa de assistência. Concluiu-se que as metodologias de intervenção oportunizaram a reflexão das práticas sociais e do fazer profissional, considerando a complexidade e dinamicidade do fenômeno psicossocial.

 

5 – VIVÊNCIAS DE FEMINILIDADES EM UMA INSTITUIÇÃO DE FORMAÇÃO TÉCNICA EM MANAUS/AMAZONAS

Lorena Milon de Alencar, Graduação em Psicologia, lorenamilon@gmail.com, Centro Universitário Luterano de Manaus

Thiago Silva dos Santos, Mestrando em Psicologia, thiago_silva_90@hotmail.com, UFAM

Iolete Ribeiro Silva, Doutora em Psicologia, iolete.silva@gmail.com, UFAM.

RESUMO: Esta pesquisa objetivou compreender as vivências de feminilidade nos cursos técnicos de edificações e eletrotécnica ofertados em uma instituição de educação profissionalizante na cidade de Manaus, com a finalidade de relacionar tais vivências para a construção das feminilidades. Para tanto, esse estudo teve caráter exploratório com enfoque qualitativo, e adotou como metodologia um questionário semiestruturado para 6 participantes voluntárias, estudantes dos cursos pesquisados e colaboradoras da instituição que convivem diariamente com as turmas, além de visitas em sala de aula para registar o diário de campo. As visitações e os depoimentos coletados, possibilitaram alcançar os objetivos e obter informações válidas para compreender os aspectos vivenciais das feminilidades onde o gênero masculino tornou-se predominante.

 

6 – SENTIDOS DE SEXUALIDADE ENTRE IDOSAS: DISCUTINDO PARTICIPAÇÃO, EMANCIPAÇÃO E GÊNERO

Estephânia de Lima Oliveira, Mestre em Psicologia, estephaniapsy@gmail.com, Faculdade Martha Falcão

RESUMO:Esta pesquisa adotou a perspectiva histórico-cultural como base para discutir o sentido e o significado da sexualidade entre idosas usuárias de um Centro de Atenção à Terceira Idade de Manaus/AM. Participaram 6 mulheres entre 60 e 64 anos e foram realizadas entrevistas semi-estruturas com objetivo de identificar as relações sociais construídas no decorrer da vida que a constituíram como pessoa do gênero feminino. Com base na análise de conteúdo dos resultados, foram encontrados 07 núcleos de significações: (1) Dou graças a Deus, porque meu marido fracassou: o sexo como obrigação; (2) Eu não tenho mais aquela vontade: a culpa é da doença; (3) Eu estou com muita vontade de fazer sexo: eu ainda gosto; (4) Coração bem mexido: paixão na terceira idade; (5) Não é só sexo: buscamos uma amizade; (6) Sexo associado à vergonha; e, (7) Sexualidade higienista: sexo seguindo padrões normativos. Sendo assim, faz-se importante considerar a necessidade que a psicologia tenha um olhar mais político acerca da sexualidade do idoso, promovendo a discussão de temáticas como: namoro na terceira idade; sexo na terceira idade; masturbação, principalmente no contexto das mulheres que tem historicamente sua sexualidade reprimida e silenciada. Os resultados obtidos podem ser considerados como satisfatórios para a pesquisa, por proporcionar dados que pudessem ser analisados e discutidos sob uma perspectiva crítica da psicologia, não se limitando numa visão organicista do desenvolvimento humano, mas dando ênfase aos processos psicossociais do sujeito.

 

7 – OS SIGNIFICADOS DO PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO PARA TRAVESTIS QUE MORAM NA CIDADE DE MANAUS

Ane Caroline Coutinho Nunes, Graduanda em Psicologia, ane.legio2@hotmail.com, UFAM

Andrews do Nascimento Duque, Mestre em Psicologia, andrews.duque@gmail.com, ESBAM

RESUMO: A pesquisa “Os Significados da Escolarização para travestis que moram na Cidade de Manaus” foi um projeto de PIBIC financiada pela FAPEAM. A partir de outras pesquisas que tratam sobre questões de gênero é possível perceber que muitas vezes pessoas que saem dos “padrões” instituídos pela sociedade em geral, acabam sendo excluídas de boa parte do processo de desenvolvimento social, sendo a escola um dos espaços que colaboram para a exclusão dessas pessoas. No caso desta pesquisa, o foco de estudo são transexuais e travestis, que em muitas situações se veem obrigadas a esconder suas identidades de gênero para poder sentirem-se aceitas nos espaços escolares. É importante trazer esta temática para o âmbito acadêmico para que sejam pensadas estratégias de inclusão desta população nos espaços públicos e oferecidas novas perspectivas de vida bem como ações que viabilizem seu pleno desenvolvimento como cidadãs, através da educação, saúde e trabalho. Participaram da pesquisa cinco pessoas sendo que quatro se identificaram como de gênero transexual e uma como travesti. O objetivo geral foi investigar quais os significados do processo de escolarização para travestis que moram na cidade de Manaus. E objetivos específicos: Levantar dados sobre a inserção de travestis nas escolas junto aos registros da Secretaria de Educação do Estado do Amazonas – SEDUCAM; Apontar qual o lugar atribuído a escolarização em suas trajetórias de vida; Conhecer se existem entraves para sua permanência nos contextos de escolarização e quais são eles; Indicar possíveis estratégias utilizadas pelas travestis para dar continuidade ao processo de escolarização. As participantes tinham idades entre vinte e dois (22) e trinta e cinco (35) anos. A escolaridade varia desde o ensino fundamental incompleto até cursando o ensino superior. Em termos metodológicos utilizou-se uma abordagem qualitativa de caráter exploratório. O instrumento de coleta de dados foi entrevista semi-estruturada. Para a análise dos dados foi utilizada a técnica dos Núcleos de Significação proposta por Aguiar e Ozella (2013). Após transcrição e análise das entrevistas os dados foram agrupados em pré-indicadores, indicadores e núcleos de significação. Foram identificados seis núcleos: (1) A escola como possibilidade de obter reconhecimento e vida digna; (2) Ambiguidades no processo de escolarização de travestis e transexuais; (3) Formas de violências vivenciadas na escola; (4) A escola não está preparada: o uso banheiro e outras formas de discriminação; (5) Fatores que dificultaram a permanência na escola; (6) Formas de conviver na escola e estratégias para permanência. A análise dos núcleos apontou que a escola ainda tem muito para melhorar para ser inclusiva. Um dos aspectos a serem questionados é a forma como os professores e alunos lidam com pessoas que estão fora do “padrão” instituído, para que a escola seja um espaço possível e acolhedor para estas pessoas, e que assim elas consigam ser reconhecidas como Pessoas, com todos os seus direitos garantidos. Para as participantes, a escolarização está ligada ao trabalho, se elas possuem uma boa escolarização, elas conseguirão bons trabalhos, alcançando assim o pleno reconhecimento como cidadãs.

 

8 – ANÁLISE DOS PROCESSOS DIALÓGICOS ENTRE ADOLESCENTES MULTIPLICADORES EM EDUCAÇÃO SEXUAL

Michelle de Albuquerque Rodrigues, Mestre em Psicologia, SEMED michellerodriguespsi@gmail.com

RESUMO: Na instituição escolar, falar sobre sexualidade em termos educativos desafia a visão muito comum de que este assunto motiva incondicionalmente as/os adolescentes a ouvir. Falar e escutar – escutar e falar, então, vem estruturar na dialogia uma forma mais atraente de viver, aprender e educar sobre a sexualidade na escola. Neste sentido, nossa pesquisa, realizada em 2010, no curso de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal do Amazonas, visou a investigar os processos dialógicos das/os adolescentes multiplicadoras/es em educação sexual de uma escola pública de Ensino Médio em Manaus. Consistiu em uma pesquisa-ação, e teve como objetivo geral analisar os processos dialógicos entre adolescentes multiplicadoras/es no desenvolvimento das intervenções preventivo-educativas em educação sexual. Teve os seguintes objetivos específicos: elaborar de forma dialógica intervenções em educação sexual; aplicar dialogicamente, as intervenções planejadas com as/os multiplicadores, junto às/aos demais estudantes da escola (não participantes do grupo de multiplicadoras/es); e avaliar a atuação das/os multiplicadoras/es na aplicação dialógica destas intervenções.  As contribuições da dialogia de Paulo Freire e do dialogismo de Mikhail Bakhtin permitiram analisar os processos dialógicos enquanto elementos indispensáveis à transformação da realidade político-pedagógica, e delinear de que forma as/os adolescentes podem concretizar ações multiplicadoras em sexualidade. O material analisado resultou de gravações em áudio e de observações de campo durante intervenções grupais, em encontros semanais com os sujeitos. Os resultados indicaram aspectos necessários para a formação de educadoras/es em sexualidade: a crítica sobre as políticas públicas em sexualidade e sobre o histórico do estudo do tema na instituição, a definição dos fatores necessários para se sentir um/a multiplicador/a, a identificação dos aspectos ideológicos envolvidos na função de multiplicar estes conhecimentos, a relação pedagógica entre alunos/as e coordenadores do grupo (a pesquisadora, uma professora e um professor, ambos da área de Biologia), a integração constante entre teoria e prática, dentre outros. Concluímos que na fala das/os próprias/os multiplicadoras/es podemos encontrar os meios para conduzir a formação educacional entre pares, e que uma educação sexual compromissada com os anseios das/os jovens acontecerá, por conseguinte, na concretização de uma contínua dialogia com estas/es.

 

9 – SIGNIFICADOS E SENTIDOS SOBRE HOMOSSEXUALIDADE ENTRE DOCENTES: UMA ANÁLISE SÓCIO-HISTÓRICA

Ângelo Cabral Esperança, Mestre em Educação,angelocabralesperanca76@gmail.com, Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Manaus

André Luiz Machado das Neves, Doutorando em Saúde Coletiva, andre_machadostm@hotmail.com, UEA

RESUMO: Com o propósito de analisar os significados e sentidos construídos por docentes de licenciaturas de uma Instituição de Educação Superior (IES) do Estado Amazonas sobre a homossexualidade, este artigo adotou a concepção de sujeito proposta por Vygotsky, que trata do desenvolvimento psicológico humano a partir de pressupostos históricos-culturais. A pesquisa assumiu a abordagem qualitativa, de caráter exploratório. Participaram da pesquisa os docentes dos cursos de licenciatura em Pedagogia, Letras – Língua Portuguesa, História e Educação Física que atuam na formação dos referidos cursos. Foram realizadas oito entrevistas semi-estruturadas com dois professores de cada curso. Os dados apontam que os significados e sentidos atribuídos à homossexualidade enquanto vivência da sexualidade humana são partes do enredo construído pelos discursos históricos, culturais, políticos e ideológicos desta sociedade, posto que, se mostram preponderantes em suas construções dialógicas os aspectos essencialistas e naturalizados, aspectos principais que contribuem para incorporação de visões moralizadoras e patológicas junto a esta vivência. A importância da temática e sua abordagem no ambiente formativo estudado fazem-se marcadas por discursos e ações reticentes por parte de docentes faz com que suas práticas pedagógicas relacionadas a temática apresentem-se distantes do compromisso com a promoção da cidadania LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). Desta maneira, os pressupostos educacionais nacionais da atualidade que propõe a construção e efetivação de uma educação que observa a diversidade enquanto uns de seus eixos condutores apresentam-se “emudecidos” e/ou “esquecidos” junto aos sujeitos estudados, demonstrando também que o posicionamento político dos cursos investigados é o “distanciamento” da temática.