Fonte: Dossiê Violência Contra as Mulheres
Foto de Capa: Promotora Legais Populares

Com o objetivo de contribuir para a ampliação e o aprofundamento do debate sobre o tema nos meios de comunicação, o Instituto Patrícia Galvão,  disponibiliza o  Dossiê Violência contra as Mulheres. O material  oferece dados oficiais e pesquisas de percepção, além de informações relevantes e análises de especialistas sobre a realidade do problema no Brasil.

Ao acessar o Dossiê, profissionais de imprensa e ativistas digitais encontram um conteúdo multimídia diversificado, preciso, confiável e atualizado na forma de dados, fatos e pesquisas, além de indicações de fontes qualificadas de diversas áreas do conhecimento que atuam com o tema da violência contra as mulheres.

Com esta ferramenta online, o Instituto Patrícia Galvão pretende subsidiar e contribuir para a qualificação da divulgação de informações e do debate sobre a violência contra as mulheres no Brasil, com foco especialmente na violência doméstica e sexual e nos recortes de raça e orientação sexual, que apontam a intersecção da violência de gênero com racismo e a lesbofobia.

O Dossiê Violência contra as Mulheres reúne ferramentas para contribuir com a divulgação de informações qualificadas e o debate contextualizado e profundado sobre a violência contra as mulheres no Brasil.

O que a imprensa pode fazer

  • informar sobre a real magnitude da violência de gênero, tanto no Brasil como no mundo, divulgando números atualizados e obtidos de fontes confiáveis. É importante informar que a violência contra as mulheres, em especial a violência doméstica, não distingue raça, classe social ou nível cultural, atingindo – ainda que de forma diferenciada – mulheres de todos os tipos e idades e de todos os lugares;
  • divulgar e avaliar os serviços disponíveis, mostrando o trabalho realizado e entrevistando profissionais que atuam em delegacias da mulher e em organizações não-governamentais que dão a primeira assistência às mulheres e meninas, os serviços de referência nos hospitais, que prestam atendimento multidisciplinar às vítimas de violência sexual, as casas-abrigo, que recebem as mulheres que não têm para onde fugir, e os serviços judiciários que visam proteger a mulher e responsabilizar o agressor;
  • buscar causas, fatores e soluções, aprofundando a abordagem e contextualizando o problema;
  • acompanhar os debates sobre as propostas legislativas que afetam os direitos das mulheres vítimas de violência (não apenas leis, mas também as políticas públicas e os serviços que devem concretizar esses direitos;
  • mostrar que o combate à violência contra as mulheres é um compromisso assumido pelo Estado brasileiro ao assinar tratados e convenções internacionais, como a Convenção de Belém do Pará (Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher), assinada pelo Brasil em 1994 e ratificada em 1995, e a Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (CEDAW, 1979), promulgada pelo Decreto nº 89.460, de 20/03/1984.

Conheça o Instituto Patrícia Galvão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s